O que é uma cultura data driven, qual sua importância e como implementá-la?

Estatísticas, metas e prazos: esse cenário parece familiar? Pois bem, essa é a realidade para grande parte das empresas no mercado, que correm atrás do relógio em busca de soluções, métodos e conceitos para a melhora dos resultados. Com isso em mente, aproveitamos o tema para desenvolver este post.

Afinal de contas, você sabe o que é data driven? Caso não, é provável que tenha pelo menos escutado esse termo nos últimos meses. Como perceberá nesta leitura, falaremos de um conceito cada vez mais importante no cotidiano das empresas, capaz de entregar eficiência, confiabilidade e economia. Acompanhe!

O que é data driven?

Seja enquanto cultura, filosofia ou conceit o, o termo data driven tem o mesmo propósito em qualquer uma dessas descrições. Em uma tradução direta, a expressão remete a algo que é orientado por dados, ou seja, que tem base em fundamentos estatísticos.

Da forma como percebemos, esse conceito ganhou força por conta da revolução digital, com o emprego em massa de computadores, softwares, redes e demais soluções informáticas no cotidiano das empresas.

Por esse motivo, uma empresa com a cultura data driven é, antes de qualquer coisa, uma instituição comprometida com a tecnologia, já que esse é um elemento fundamental para a implementação do conceito. Mas aqui, pode ser que você se pergunte: como isso pode impactar nos meus resultados?

Bem, a maior prioridade dessa cultura é promover a digitalização dos dados, tornando eletrônica todo tipo de informação que é vital para uma boa gestão, seja nas notas de satisfação do consumidor, no acompanhamento das vendas, no monitoramento do CRM e por aí adiante.

Com esse objetivo, uma empresa data driven desenvolve rotinas e formas de monitorar seus processos e resultados, continuamente gerando dados que possam ser analisados mais tarde — oferecendo insights importantes para a tomada de decisões e criação de novas estratégias.

Além disso, também é importante conhecer os três pilares desse conceito. O primeiro é garantir a acessibilidade a esses dados por todos os colaboradores envolvidos. Afinal, parte fundamental dessa cultura é a cobrança por resultados, mas ninguém poderá colaborar se não contar com uma forma rápida para acompanhar o status das suas metas e situações.

O segundo ponto é a confiabilidade desses dados. Pois veja, as informações devem ser precisas e coerentes, seja no monitoramento de questões como o volume de vendas, ticket médio, novos leads ou qualquer outro exemplo do tipo. As estatísticas precisam ser coletadas totalmente livres de erros ou inconsistências.

Por último, as boas práticas no manuseio dessas informações. É fundamental contar com uma equipe consciente sobre a importância, privacidade e delicadeza desses dados, criando políticas que proíbam o compartilhamento dessas informações e questões afins.

Como esse conceito pode melhorar os meus resultados?

Mas agora, chega o momento de entender como essa cultura corporativa ajuda não somente os gestores, mas também os resultados das empresas. Dê uma olhada!

Otimiza a confiabilidade das prevenções financeiras

Assim como acontece com a qualidade das decisões, a análise preditiva também é beneficiada. Como já deve ter percebido no seu campo de atuação, a atividade econômica é relativamente previsível. Com um sistema que analise os dados da sua operação no passado, é possível simular cenários preditivos, apontando para os prováveis resultados do futuro.

Logicamente, não é algo à prova de falha, já que qualquer estatística pode ser afetada por eventos externos. Por exemplo, digamos que você trabalha em uma empresa que cede empréstimos para pessoas físicas. Por conta de uma política econômica que reduz as taxas de juros, mais clientes acessam o site da sua empresa em busca de um empréstimo.

Com isso, a estatística que monitora os leads acaba observando um pico inusitado em determinado mês. Esse é o tipo de situação anômala que o sistema não consegue prever, mas se isolarmos esses eventos, percebemos que a atividade segue previsível e relativamente estável ao longo do ano, indicando previsões bem próximas da realidade.

Aprimora a tomada de decisões estratégicas

Em uma operação completamente informatizada, o gestor pode acompanhar o andamento da atividade por meio de vários painéis e relatórios em tempo real. Com esse ponto de vista, se torna mais fácil tomar decisões críticas ou mudar de direção com o máximo de agilidade.

Como implementar essa cultura na minha empresa?

Agora que você conhece os benefícios dessa estratégia, é momento para descobrir como instalar esse conceito na sua operação. Abaixo, listamos as três principais etapas para que se consiga fazer isso sem prejudicar a produtividade da sua empresa. Veja!

Invista em tecnologia

O primeiro e mais importante passo. A menos que você esteja no setor produtivo e industrial, grande parte dos investimentos aqui serão em software, com a contratação de plataformas de gestão e profissionais do ramo. O objetivo é implementar soluções de monitoramento para tudo que a operação faz.

Ou seja, automatizar a contagem de vendas, leads, ligações, avaliações do consumidor e por aí adiante. Quanto maior a automatização na coleta dos dados, menor a interferência humana na contagem, o que beneficia diretamente a confiabilidade dessas estatísticas.

Transforme a cultura organizacional

Implementar uma cultura corporativa do zero leva tempo e persistência, já que o gestor precisa combater a resistência a mudança manifestada pela equipe. Por isso, pode ser interessante fazer uma transição gradual, acostumando o time às novidades de pouco em pouco.

Primeiro, com a implementação de algumas ferramentas. Depois, com o treinamento. Em seguida, palestras. Mais tarde, a conscientização de toda a equipe, até que a transição seja realizada sem grandes problemas.

Capacite a sua equipe

A qualificação dos colaboradores, principalmente aqueles que terão contato direto com as plataformas de dados. O objetivo é que todos estejam capacitados para usar as ferramentas com agilidade e precisão, sem causar ociosidade para a empresa por conta de dúvidas na utilização dos novos recursos.

Por fim, vale notar que esse conceito não é a apenas o emprego de tecnologia para todos os lados. Enquanto cultura, ela significa que todos os colaboradores estejam conscientizados em torno desse objetivo, e por isso, tomarão suas decisões com base nas informações e relatórios ao quais têm acesso.

Você gostou deste post especial explicando o que é data driven? Então, não perca a oportunidade de repassar esse conceito aos seus colegas de equipe, compartilhando este artigo nas suas redes sociais!

ebook_prevenção_de_fraudesPowered by Rock Convert

DATE: mar 6, 2020
AUTOR: Maylan Moreno
Gestão empresarial, , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *